Aposentadorias especiais
do INSS: Professor


A aposentadoria especial do professor é um benefício concedido pelo INSS aos profissionais que comprovem a atuação em magistério com os 180 meses efetivamente trabalhados. Tendo em vista que a aposentadoria do professor é especial, a mesma não necessita de uma idade mínima para requerer o benefício.

Contudo, como já mencionado a aposentadoria especial do professor engloba somente os profissionais de atuação em magistério, desconsiderando os professores universitários. Vale ressaltar que atuação em magistério é aquela exercida por professores em estabelecimento de educação básica, em seus diversos níveis de modalidade.

Entretanto, o professor segurado pode em algumas hipóteses cumular os valores de aposentadoria, já que existem 2 espécies, sendo: Aposentadoria por RPPS (Regime Próprio de Previdência Social) e a Aposentadoria pelo INSS. A cumulação das duas só ocorrerá se o professor segurado comprovar e seguir os requisitos constados nas duas espécies.

Requisitos:

Para que possa requerer o benefício, o professor segurado deverá cumprir alguns requisitos taxados pelo INSS, sendo:

  • Tempo total de contribuição em funções de magistério:
    1. 30 anos, se homem;
    2. 25 anos, se mulher;
  • Tempo efetivamente trabalhado de 180 meses (carência).

Para fim de comprovação, a atividade de magistério é suficiente para o reconhecimento do período trabalhado, pois se entende que exista a habilitação do segurado para o desempenho da função.

Quais são os documentos necessários?

Tendo em vista que o professor segurado deve cumprir os requisitos principais para aderir ao beneficio especial de aposentadoria, se faz necessário para comprovação das atividades um documento de identificação com foto, número do CPF, comprovante dos períodos trabalhados, carnês de contribuição, carteira profissional e alguns mais específicos, sendo:

  • Registros em CP ou CTPS, complementados, quando for o caso, por declaração do estabelecimento de ensino onde foi exercida a atividade, sempre que necessária essa informação, para efeito de sua caracterização;
  • Informações constantes do CNIS, ou
  • CTC nos termos da Contagem Recíproca para o período em que esteve vinculado a RPPS;

O professor pode continuar exercendo seu cargo depois de aposentado?

Depende, quando o professor segurado é optante pelo RPPS (Regime Próprio de Previdência Social), normalmente se encontra em cargos públicos e a prefeitura municipal geralmente retira o profissional do cargo, entretanto, esta situação se altera quando o professor segurado é optante pelo regime de contribuição pelo INSS, podendo exercer normalmente suas funções, podendo até mesmo em alguns casos, ser manejado a outro cargo ou função.

Pode também, o professor segurado cancelar sua aposentadoria desde que não tenha recebido o primeiro pagamento da aposentadoria ou não tenha sacado o PIS/FGTS.

Qual é o valor da aposentadoria do professor?

Em regra, o valor será 100% do salário benefício com o cálculo previsto no Art.29 e 56 da Lei 8.213/91. O cálculo é integral, assim como na aposentadoria por tempo de contribuição, tendo um diferencial no tempo de contribuição, reduzido em cinco anos, e o acréscimo de 5 ou 10 anos na escala da tabela do fator previdenciário.

Clique aqui e faça o cálculo da sua aposentadoria agora mesmo, basta inserir os registros da sua carteira de trabalho que a nossa calculadora irá apresentar o resultado.

Dúvidas sobre o seu benefício? Converse com nossos advogados especialistas no INSS sem compromisso (atendemos todo País). Contato via WhatsApp (42 99810-2866), central de atendimento (42 3521-5000) ou previdenciario@meloadvogados.com.br

* Mateus Lourenço de Souza é membro do Núcleo Previdenciário da Melo Advogados Associados.


Dúvidas sobre o seu benefício?

Converse com nossos
advogados especialistas no INSS
sem compromisso (atendemos todo País).

FALAR VIA WHATSAPP

Ligamos para você!

Informe os seus dados que entraremos em contato.

Calculadora de
Aposentadoria


Confira se já esta na hora de você se aposentar
ou quanto tempo falta de contribuição.

Fique por dentro das mudanças na aposentadoria pelo INSS


Contribuições em atividades concomitantes devem ser somadas no cálculo da aposentadoria – Tema 1070/STJ
JUN30

Postado em: Últimas notícias

Contribuições em atividades concomitantes devem ser somadas no cálculo da aposentadoria – Tema 1070/STJ

O intuito do tema 1070 (afetado em 2020) é de promover aos trabalhadores que contribuem concomitantemente para o Instituto Nacional do Seguro Social – (INSS), isto é, os que exercem mais de uma atividade, com a finalidade de obtenção de um benefício mais vantajoso.   Nesse sentido, a Lei 13.846/2019 alterou o aspecto de cálculo

Nova regra do STF gera esperanças para a tese da “Revisão da Vida Toda”
JUN14

Postado em: Revisão da Vida Toda

Nova regra do STF gera esperanças para a tese da “Revisão da Vida Toda”

Da análise do tema, podemos observar que a partir do dia 27 de novembro de 1999, o INSTITUTO NACIONAL DO SEGURO SOCIAL – INSS, adotou uma regra de cálculo que deixava de contabilizar os maiores salários nos períodos anteriores a 1994, contabilizando apenas o tempo contributivo, assim, prejudicando aqueles que possuíam salários mais altos.

O post Nova regra do STF gera esperanças para a tese da “Revisão da Vida Toda” apareceu primeiro em Melo Advogados Associados.

Alíquota de contribuição do INSS: contribuições realizadas equivocadamente implicarão diretamente na contagem de sua aposentadoria.
MAY27

Postado em: Últimas notícias

Alíquota de contribuição do INSS: contribuições realizadas equivocadamente implicarão diretamente na contagem de sua aposentadoria.

Precisamos sempre prestar atenção nas contribuições ao INSS, sendo esta a parte fundamental, senão a mais importante, para que sua aposentadoria seja bem planejada e concedida. Para isso, vale lembrar que cada alíquota é diferente da outra, uma vez que, havendo a contribuição de forma equivocada, o período não contará para fins de tempo de contribuição.

O post Alíquota de contribuição do INSS: contribuições realizadas equivocadamente implicarão diretamente na contagem de sua aposentadoria. apareceu primeiro em Melo Advogados Associados.

ALTERAÇÃO NAS REGRAS PARA ANÁLISE DE DETERMINADOS BENEFÍCIOS NO INSS
MAY10

Postado em: Aposentadoria especial

ALTERAÇÃO NAS REGRAS PARA ANÁLISE DE DETERMINADOS BENEFÍCIOS NO INSS

No dia 20 de abril de 2022, o Governo Federal publicou a Medida Provisória nº 1.113/2022, que tem como objetivo agilizar a análise dos pedidos para concessão de determinados benefícios. Dentre as principais alterações, está a desnecessidade da realização de perícia médica presencial para concessão do Auxílio por Incapacidade Temporária (antes chamado de Auxílio Doença),

TEMPO DE CARÊNCIA x TEMPO DE CONTRIBUIÇÃO
APR05

Postado em: Aposentadoria por tempo de contribuição

TEMPO DE CARÊNCIA x TEMPO DE CONTRIBUIÇÃO

Não confunda! Você sabe a diferença entre tempo de carência e tempo de contribuição? – O tempo de carência é contado mês a mês; – Um dia trabalhado conta como um mês inteiro de carência; – Exige um tempo mínimo de contribuições para solicitar determinado benefício, ou seja, a carência tem uma quantidade mínima de pagamentos


Fale Conosco pelo WhatsApp